Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2017

Discoteca Básica; 'Closer', Joy Division (1980)

Imagem
Discoteca Básica; 'Closer', Joy Division (1980)
O Joy Division influenciou de maneira definitiva o rock da década de 80. A força de sua música consistia em resgatar o espírito soturno de preciosas antigüidades como Doors, Velvet e Stooges e aliá-lo ao som inovador feito por Bowie (na fase alemã) e Kraftwerk nos anos 70. Tudo isto dentro de um estilo próprio que, a princípio, lidava com elementos do punk, e depois evoluiu para uma espécie de antítese de heavy metal mesclada a sons sintetizados. Através de componentes sonoros "normais" e despojados, eles transformavam a soma de pequenas partes em um grande todo. 
Ian Curtis (voz), Bernard Albrecht, ou Sumners (guitarra e teclados), Peter Hook (baixo) e Stephen Morris (bateria) jogavam a última pá de terra sobre o romantismo do rock. Não há resquícios de "paz, amor e esperança" nas letras de Ian Curtis. Elas são apenas observações sobre a condição humana em um mundo dominado pela miséria e o desespero. 


Para forj…

Desconstruindo o Pop! Playlist 10 - 'No one gets hurt. You're doing nothing wrong'

Imagem
Desconstruindo o Pop! Playlist 10 - Edição especial; 'No one gets hurt... You're doing nothing wrong'
Tracklist;
1. 'Glass', Gang of Four 2. 'Better Things', Ray Davies & Bruce Springsteen 3. 'I Want You To Know', Dinosaur Jr. 4. 'Please Take', Wire 5. 'The Dog Catcher', The Jaguars 6. 'Perfect Day (Acoustic Demo)', Lou Reed 7. 'Uncle Remus', Frank Zappa & The Mothers Of Invention 8. 'Cut Me Some Slack (Live)' Paul McCartney & Nirvana 9. 'Long Flowing Robe', Todd Rundgren 10. 'Knockin' on Heaven's Door', Bob Dylan 11. 'Society', Jeyy Hannan 12. 'Little Wing (Live)', Jimi Hendrix 13. 'Bad News Travel Fast', The Fuzztones 14. 'I am The Cosmos', Chris Bell 15. 'Sister Rosetta', Robert Plant & Alison Krauss 16. 'Dreaming of You', The Coral 17. 'Big White Cloud', John Cale 18. 'Gloria (Live)', Them 19. 'No Big Thing', Holly …

Música + Livros: Jim Morrison - Ninguém Sai Vivo Daqui, de Jerry Hopkins

Imagem
Música + Livros: Jim Morrison - Ninguém Sai Vivo Daqui, de Jerry Hopkins 
Todos que desejam conhecer as entranhas do mundo do Rock’n Roll certamente passarão pelo The Doors, principalmente por ter Jim Morrison como vocalista. Controverso e absolutamente genial, Jim acrescenta poesia ao conceito de “Sexo, drogas e Rock’n Roll”. Na biografia Jim Morrison – Ninguém sai vivo daqui, de Jerry Hopkins e Danny Sugerman, eles escancaram a vida de um dos artistas mais icônicos e complexos da história da música. Morrison era apenas um homem que queria explorar ao máximo os limites do seu corpo, de sua mente e alma, e que as “extravagâncias” feitas por ele, eram apenas consequência daquilo que queria saborear da vida. O livro disseca músico em todos os sentidos. Ele mostra toda vulnerabilidade de um astro do rock que queria ser mais do que um vocalista de uma banda consagrada. Morrison não era apenas um músico, ele era poeta e cineasta (Formado pela Universidade de Los Angeles, UCLA), em certo mome…

Músicas para Sentir; 'My Body is a Cage', Arcade Fire

Imagem
Músicas para Sentir; 'My Body is a Cage', Arcade Fire
Meu corpo é uma prisão Que me impede de dançar com aquele que amo Mas minha mente segura a chave Meu corpo é uma prisão Que me impede de dançar com aquele que amo Mas minha mente segura a chave
Estou aqui sobre o palco De medo e de dúvidas internas. É uma peça horrível, Mas eles aplaudirão de qualquer maneira.
Meu corpo é uma jaula Que me impede de dançar com aquele que amo Mas minha mente segura a chave Fique perto de mim Minha mente possui a chave
Estou vivendo em uma época, Que chama a escuridão de luz . E apesar de minha língua estar morta, Suas formas ainda preenchem a minha cabeça.
Estou vivendo em uma época Cujo nome não sei. E apesar do medo me manter em movimento, Meu coração bate bem devagar.
Meu corpo é uma jaula Que me impede de dançar com aquele que amo

Eu Estava Lá... Morrissey - São Paulo, 12/3/2012

Imagem
Eu Estava Lá... Morrissey - São Paulo, 12/3/2012

Hoje em dia, está pra quem quiser por aí na rede todo o tipo de informação sobre um artista. E sempre quando vou ver alguém tocar, tento me colocar á par do que o artista vem tocando. Já há uns dois meses, sabia 99% do set que assisti ontem. Se por um lado você mata a surpresa, por outro, e especialmente nesse caso, saber o que está por vir te ajuda a aproveitar o que você já sabe que o show tem de melhor.

Morrissey é nostalgia? Sim, claro. E oitentista, pra piorar. Mas ele ainda luta pela sua carreira. Lança discos decentes e toca músicas novas. Ainda acredita em sí mesmo como artista, e isso é louvável. Como fã de várias bandas que tiveram seus dias de glória dos anos oitenta e noventa, gosto sempre mais daquelas que ainda são relevantes e não viraram karaokê. Não fiz questão de ir ao último show do New Order, por exemplo, porque sabia que não haveria mais alma ali. Não acho também, que Morrissey deveria agradar seus fãs ardorosos e faz…

Discoteca Básica; 'Nevermind the Bollocks, Here's the...', Sex Pistols (1977)

Imagem
Discoteca Básica; 'Nevermind the Bollocks, Here's the...', Sex Pistols (1977)
Esqueça os escrotos, aqui estão os Sex Pistols" (tradução aproximada) lembra aquele breve período quando o rock, a moçada britânica - e mesmo a sociedade britânica - foram forçados a cair na real. É um documento histórico, já era no dia de seu lançamento. A trilha sonora de um golpe cultural planejado com impressionante atenção a detalhes de promoção e "imagem pública" (a cargo de Malcolm McLaren). 
O som representa uma caricatura do rock. Assim como o caricaturista exagera os traços dominantes de um rosto, os Sex Pistols eliminaram todos os detalhes supérfluos de um gênero musical já pôr demais conhecido, projetando o que restara com uma ferocidade deslumbrante. 
Um som cru e simples. A bateria (de Paul Cook) nada mais do que adequada; o baixo sólido, presente mas sem nenhum destaque (no disco é Steve Jones quem toca). O timbre da guitarra é sujo e até indistinto, com uma acumulação …

Desconstruindo o Pop! Playlist 9 - 'Don't Ya Love Her When She's Walking Out The Door?'

Imagem
Desconstruindo o Pop! Playlist 9; 'Don't Ya Love Her When She's Walking Out The Door?'
Tracklist;
1. 'Nothing But Trouble', Phantogram 2. 'Wild One', Those Darlins 3. 'Scissor Runner', Jenny & Johnny 4. 'Fall Creek Boys Choir', James Blake & Bon Iver 5. 'No Expectations', Soulsavers 6. 'Faith', I Break Horses 7. 'Genesis 3.21.1', The Mountain Goats 8. 'Gone Again', Best Coast 9. 'Where You Stand', Travis 10. 'Hidden Persuaders', Reverend & The Makers 11. '21' Imogen Heap 12. 'Atomica', David Bowie 13. 'I Cut Myself In Two', Black Drawning Chalks 14. 'Kelly', Van She 15. 'All Wash Out', Edward Shape & The Magnetic Zeroes 16. 'Ghosts', CANT 17. 'Counting Back To One', The Beautiful Small Machines 18. 'Percussion Gun', The White Rabbits 19. 'I'm a Pilot', Fanfarlo 20. 'Femme Fatale', The Toy Hearts


'Don't y…

O Mundo Maravilhoso das Capas de Discos; 'Kid A', Radiohead (2000)

Imagem
O Mundo Maravilhoso das Capas de Discos; 'Kid A', Radiohead (2000)
O álbum 'Kid A' do Radiohead, lançado em 2000, disco que sucedeu o aclamado 'OK Computer', é particularmente bom em produzir teorias de conspiração. Em um artigo para a revista The New Yorker, o romancista britânico Nick Hornby o chamou de "suicídio comercial", especulando que a banda pode ter intencionalmente se tornado estranho e experimental como forma de irritar o rótulo e sair do contrato com a EMI (e acabou sendo um sucesso surpreendente de vendas!).E então, o Chuck Klosterman da revista Spin afirma que o disco, sem querer, previa o 11 de setembro um ano antes dele acontecer!
Curiosamente, 'Kid A' incluiu pistas assustadoras para o futuro, mas não no próprio álbum - eles estavam escondidos na embalagem! Além do folheto de capa comum com as coisas usuais, como letras e créditos, houve um segundo, um folheto ligeiramente mais perturbador escondido atrás da bandeja do álbum. A…

Música + Cinema; 'De Canção em Canção', de Terrence Malick (2017) (Torrent Download)

Imagem
Música + Cinema; 'De Canção em Canção', de Terrence Malick (2017) (Torrent Download)
Mesmo na época em que o cinema se torna, aos poucos, um produto mais enlatado e genérico, ainda há inúmeros exemplares de diretores que mantém uma veia autoral, esteja essa veia presente em bons ou maus filmes. Citando apenas cineastas contemporâneos, podemos lembrar da simetria e uso de cores pulsantes em Wes Anderson e das técnicas retrô (como o esquecido zoom) e diálogos corriqueiros de Quentin Tarantino, como também da cansativa paleta dessaturada de Zack Snyder, sempre acompanhada pelo excesso de câmera lenta. Nessa turma de “autores”, temos Terrence Malick com sua “câmera viva”. Diferente de alguns casos, porém, Malick não utiliza sua estética diferenciada apenas para diferenciar-se da média. Em filmes como A Arvore da Vida e Voyage Of time, suas histórias foram beneficiadas pela direção inquieta e montagem rebelde e documental. De Canção em Canção não é diferente, e traz mais um belo exe…

Shows Completos; R.E.M., Ao vivo no Rockpalast Festivival, Zeche, Bochum, Alemanha - 02/10/1985

Imagem
Shows Completos; R.E.M., Ao vivo no Rockpalast Festivival, Zeche, Bochum, Alemanha -  02/10/1985
Set list;

0:01:22 - Feeling Gravitys Pull 0:06:07 - Harborcoat 0:10:00 - Sitting Still 0:13:20 - Maps and Legends 0:16:47 - Fall On Me 0:19:46 - Green Grow the Rushes 0:23:44 - Driver 8 0:27:34 - Hyena 0:30:36 - So.Central Rain 0:34:42 - Have You Ever Seen the Rain? 0:37:30 - Can't Get There From Here 0:41:30 - King of the Road 0:42:49 - Seven Chinese Brothers 0:47:05 - Auctioneer (Another Engine) 0:50:17 - Old Man Kense