Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2017

Músicas para salvar a sua vida; 'A Change Is Gonna Come', Sam Cooke (1964)

Imagem
Músicas para salvar a sua vida; 'A Change Is Gonna Come', Sam Cooke (1964)
Faixa 1 do lado B do álbum 'Ain't That Good News'. Lançado em 22 de dezembro de 1964. Composta por Sam Cooke. Produzida por Hugo Perretti e Luigi Creatore.
Em 1963, Sam Cooke, o primeiro grande nome da Soul Music americana, ouviu uma música que o inspirou e o perturbou profundamente ao mesmo tempo; 'Blowin' In The Wind', de Bob Dylan.
O que chamou a atenção de Cooke, um então bem-sucedido artista pop, foi o desafio implícito no hino social de Dylan; 'Como um branco escreve uma coisa dessas sobre o que o povo negro passa?', indagou.
Sua resposta foi 'A Change Is Gonna Come', gravada em janeiro de 1964, com um suntuoso arranjo de orquestra. Escrita em primeira pessoa, a faixa se tornaria a mais pessoal de toda a sua carreira, retratando as experiências que precederam sua criação; O ocorrido em outubro do ano anterior, Cooke e sua equipe foram presos na Louisiana por pertur…

Discoteca Básica; 'Stand!', Sly & The Family Stone (1969)

Imagem
Discoteca Básica; 'Stand!', Sly & The Family Stone (1969)
Eram duas da manhã do dia 17 de agosto de 1969 quando Sly Stone - usando uma veste branca de franjas longas e imaculadas luvas de pelica - subiu ao palco de Woodstock para detonar a mais selvagem e extasiástica celebração comunitária jamais vista na história da música pop. Ao comando da palavra mágica "higher", uma horda de quatrocentas mil pessoas dançou e suou sobre um mar de lama, só permitindo que seu xamã - já completamente afônico - a deixasse após o quarto bis! Congeladas pelas lentes do cineasta Mike Wadleigh, parte dessas images ganhou o mundo, tornando Sly Stone uma das grandes celebridades do final dos anos 60.
Só que ele era muito mais do que uma overnight sensation. Praticamente sozinho, modificaria radicalmente a estrutura do soul, injetando nele cores e sons da nascente psicodelia. O resultado era algo totalmente diferente para a época: "a whole new thing", como ele mesmo orgulhosame…

As Favoritas de... Karen O. (Yeah Yeah Yeahs)

Imagem
 As Favoritas de... Karen O. (Yeah Yeah Yeahs)
Buenas!
E hoje, na seção 'As Favoritas de...', vamos com a seleção da musa indie Karen O., vocalista dos nova-iorquinos do Yeah Yeah Yeahs. 
Ela preparou uma lista de álbum preferidos para o jornal britânico The Guardian, e a seleção é extremamente eclética. Confira;
'Workingman's Dead',Grateful Dead (1970) 'On Avery Island', Neutral Milk Hotel (1996) 'A South Bronx Story', ESG (2000) 'Who's Sorry Now?', Connie Francis (1958) 'Homecoming', The Teenagers (2007) 'Hee-Haw', Birthday Party (1988) 'Nina at the Village Gate', Nina Simone (1962) 'Mid-City Island', Moses Sumney (2014)
Para ler os comentário (em Inglês), clique aqui
Para montarmos a playlist, selecionamos uma faixa de cada álbum e quatro faixas que os Yeah Yeah Yeahs fizeram versões durante a carreira da banda, para completarmos a playlist como bônus. Vamos lá!
01. 'Uncle John's Band', Grateful Dead 02…

Músicas para salvar sua vida; 'Maybe I'm Amazed', Paul McCartney (1970)

Imagem
Músicas para Salvar sua Vida; 'Maybe I'm Amazed', Paul McCartney (1970)
Faixa cinco do Lado B de 'McCartney'
Lançado em Abril de 1970 (Apple Records/EMI) Lançada em compacto ao vivo em 1977 Composta e Produzida por Paul McCartney
A simples e sincera letra de 'Maybe I'm Amazed' relata como a falecida esposa de Paul McCartney, Linda Eastman, ajudou durante o turbulento processo de separação dos Beatles em 1969. Mais tarde, ele recordou que a música foi escrita para o casal. 'Todas as canções de amor que escrevo são para ela', comentou Paul em sua biografia.
Os dois ficaram juntos por vinte e nove anos, até a morte de Linda em 1998, aos 56 anos. Nos Wings, banda que Paul montou após sair do Fab Four, ela entrou como tecladista quase que como uma resposta a inclusão de Yoko Ono na Plastic Ono Band de John Lennon. Mesmo depois da dissolução da banda, ela continuou a se apresentar com o marido.

A Letra

Maybe, I'm amazed at the way you love me all the time

Música + Cinema; 'Born to Be Blue' (2015) (Download)

Imagem
Música + Cinema; 'Born to Be Blue' (2015) (Download)

– Te pagam dois mil dólares por um beijo e dois dólares pela sua alma. Sabe quem disse isso? – Não. – Marilyn Monroe.
Através de diálogos assim, econômicos e não menos vorazes, que logo notamos o tom de Born to te Blue, uma obra não de primórdios, mas sim de recortes.
Procurando retratar um momento, a obra usufrui de todo intimismo possível para nos situar dentro do controverso e genial mundo do lendário trompetista de Jazz Chet Baker.
É sabido que o cultuado e problemático músico, que sempre oscilou entre seu brilhantismo dom e momentos auto-destrutivos, acarretados principalmente por seu envolvimento com heroína. Fruto de uma geração transgressora e, portanto, cheia de excessos é importante salientar que a heroína infelizmente assolou grande parte dos integrantes do movimento artístico-musical originado nos E.U.A.
Aqui encontraremos um Chet em processo de recuperação, confrontando seu demônios, pagando por seus erros passados e t…

As Favoritas de... Iggy Pop!

Imagem
As Favoritas de... Iggy Pop!
Em abril de 2007, a revista britânica Mojo preparou uma matéria especial com os Stooges e trouxe uma excelente entrevista com o cantor da banda, Iggy Pop. Como é de praxe da publicação, encartou um CD intitulado 'The Stooges Jukebox', onde Iggy traçava uma linha evolutiva nas suas canções preferidas, que acabaram por moldar o som de sua banda. O resultado é incrível. Confira o tracklist e ouça no talo!
Tracklist;

01. 'Surfin' Bird', The Trashmen
02. 'Tutti Frutti', Little Richard
03. 'Breathless', Jerry Lee Lewis
04. 'Cotton Picker', Eddie Cochran
05. 'Tall Cool One', The Fabulous Wailers
06. 'Scorpio', Dennis Coffey
07. 'Rumble,' Link Wray
08. 'Moanin' at Midnight', Howlin' Wolf
09. 'Crawing King Snake', Junior Kimbrough & The Soul Blues Boys
10. 'Drug Store Woman', John Lee Hooker
11. 'Say Man', Bo Diddley
12. 'Help, I'm a Rock', The Mothers of I…

Discoteca Básica; 'Legião Urbana', Legião Urbana (1985)

Imagem
Discoteca Básica; 'Legião Urbana', Legião Urbana (1985)
Renato Russo gostava de dizer que a Legião era uma banda folk que trabalhava com o rock e era percebida como pop. Mas o começo não foi bem assim. No inicio da história está o punk. Foi de um grupo punk, o Aborto Elétrico - formado em 1978 por Renato, o baterista Fê Lemos e o guitarrista André Pretorius -, que saiu parte do repertório inicial da Legião. Foi da revolta "no future" (sem futuro, brado de Johnny Rotten, do grupo Sex Pistols, no hino punk "God Save The Queen" ) que surgiram as primeiras letras do maior compositor do rock brasileiro.

Gravado em 1984 nos estúdios da EMI Odeon, Legião Urbana, o disco de estréia, foi lançado em 1º de janeiro de 1985, duas semanas antes do Rock In Rio. No festival, despontavam Paralamas, Blitz e Barão Vermelho. Mas nenhuma dessas bandas tinha Renato Russo. Voz firme, ele abria o disco com versos furiosos: "Tire suas mãos de mim/ Eu não pertenço a você". …

MOJO PRESENTS… Out Of Time: 15 Tracks From The Golden Age Of Alternative Rock (Playlist)

Imagem
MOJO PRESENTS… Out Of Time: 15 Tracks From The Golden Age Of Alternative Rock (Playlist)
Buenas!

Retomando com as playlists baseadas nos CDs brinde que a revista MOJO encarta todos os meses em suas edições, teremos hoje a da edição de dezembro de 2016, sobre o rock alternativo nos anos noventa. Confira!
Tracklist;
01. Superchunk, 'Seed Toss' (3:00)
02. Big Dipper, 'All Going Out Together' (2:58)
03. Dinosaur Jr., 'Repulsion' (3:03)
04. Miracle Legion,  'All For The Best' (5:07)
05. Dumptruck, 'Island' (4:15)
06. Galaxie 500, 'Tugboat' (3:53)
07. Pavement, 'Unseen Power Of The Picket Fence' (3:51)
08. Gumball, 'Light Shines Through' (2:59)
09. Urge Overkill, 'Ticket To L.A.' (2:15)
10. Bitch,  'Magnet Motor' (3:47)
11. Alice Donut, 'My Boyfriend’s Back' (2:19)
12. The Lemonheads, 'If Only You Were Dead (Early Mallo Cup)' (2:53)
13. The Feelies, 'The High Road' (4:21)
14. Beat Happening, 'Indian S…

As Favoritas de... Joseph Mount (Metronomy)

Imagem
As Favoritas de... Joseph Mount (Metronomy)Joseph Mount, vocalista do Metronomy, tem,  musicalmente, uma dívida de gratidão para com sua irmã mais velha, Alice. Na escolha de seis das canções que moldaram a sua vida até agora, eleadmite que muitas vezes era Alice que iria passar em seu conhecimento de música ao mesmo tempo novo e ... bem, não tão legal. Mas a troca criativa não estava completamente unilateral. 'Consegui me redimir depois', confirma.
Os comentários sobre as canções, em Inglês, podem ser conferidos aqui.
Para completar a playlist original, adicionamos algumas versões originais de covers que o Metronomy fez ao longo da carreira. Confira;
Tracklist;
01. 'The Locomotion', Kylie Minogue 02. 'Down by the Water', PJ Harvey 03. 'El Scorcho', Weezer 04. 'Blue Flowers' Dr. Octagon 05. 'Needles & Pins', The Ramones 06. 'The Jungle Line', Joni Mitchell 07. 'Hypnose (part 2)', Jean-Michel Jarre & Dominique Webb 08. 'F…

Favoritos das Casa; Roxy Music (Londres, Inglaterra)

Imagem
Favoritos das Casa; Roxy Music (Londres, Inglaterra)
O Roxy Music é uma das bandas mais sensacionalmente cafonas e criativas da história da música. 
Tudo começou com o estudante de arte Bryan Ferry, em 1970. Recém demitido de uma escola onde ensinava cerâmica (?!?!), ele resolveu juntar alguns músicos para montar um tipo diferente de banda. Uma que colocava o visual e a interpretação cênica em primeiro lugar. “Fazer música como se pintava quadros”, como diz no documentário o tecladista Brian Eno.  Junto dos dois “Brians” estavam o guitarrista Phil Manzanera, o baixista Graham Simpson, o baterista Paul Thompson e o saxofonista Andy Mckay, formação já fora dos padrões do rock feito na época, onde Hippies psicodélicos criavam o rock progressivo e o Hard Rock começava a estourar, com Led Zeppelin e afins. 

Em seus dois primeiros discos, “Roxy Music”, de 1972, e “For Your Pleasure” de 1973, a banda desenvolveu um som único, impossível de ser classificado se observarmos do ponto …

Música + Cinema; 'Anton Corbijn : Inside Out' (2013) (Download + Playlist)

Imagem
Música + Cinema; 'Anton Corbijn : Inside Out' (2013) (Download + Playlist)
Para os escritores famosos, a solidão é praticamente um pré-requisito para a fama, enquanto os fotógrafos são geralmente consideradas como criaturas mais sociais. Isso não é o caso de Anton Corbijn, embora ele tenha estado no centro das atenções com algumas das celebridades mais notáveis do nossos tempos.
No documentário dirigido por Klaartje Quirijns, 'Anton Corbijn: Inside Out', vemos como Corbijn leva uma vida de solidão auto-imposta. O interessante aqui é que ele parece querer o contrário.
Gravado entre 2008 e 2011, o filme entrecorta narrativa, sets de fotografia e filmagem e fala com sua família, na Holanda
Uma das bandas que ais está associada a ele é o U2, com quem Corbijn tem colaborado  desde início dos anos 80. Bono é entrevistado brevemente, e menciona por que ele acha que a banda encontra tal harmonia com Corbijn.
"Nós dois estamos interessados em luz, e tentando capturá-la ... refl…