Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2016

Discoteca Básica; 'Rocket To Russia', The Ramones (1977)

Imagem
Discoteca Básica; 'Rocket To Russia', The Ramones (1977)

É duro ser um garoto de doze anos afundado até o queixo no lodoso tédio urbano. Todo mundo dá palpite na sua vida. O status em casa e na rua, a voz e até o corpo ainda são de criança - mas os instintos são de homem, e as garotas, todas ficando peitudas, não estão nem aí com você. Escrotas. Piranhas.


A única saída é dar uma de muito mais durão do que você realmente é. Começar a beber, fumar, bater punheta direto. E estar pronto para sacrificar qualquer ciosa por alguns momentos de diversão adrenal.

Mas dá mesmo para sacrificar? É difícil. Nem todo mundo é durão de verdade. Dá até para afetar a cara de mau, mas no fundo você gosta é de ver sessão da tarde... jogar fliperama, tomar milkshake, ouvir rock altão no seu quarto só para zoar a mãe, pegar uma praia, passear ao crepúsculo de mãos dadas com sua baby (quem dera)...

Dá para jogar tudo para o alto só por um pouco de alegria? Vale a pena matar aula o tempo inteiro, não es…

Músicas para salvar a sua vida; 'Do You Realize?', The Flaming Lips (2003)

Imagem
Músicas para salvar a sua vida; 'Do You Realize?', The Flaming Lips (2002)

Faixa 9 do álbum 'Yoshimi Battles The Pink Robots' (2002)

Esta canção, que questiona aprópria naturezada existência humana,foiinspirado em partepela morte súbitadeum amigo japonêsda banda.
Graças ao seuusoonipresenteemcomerciais da VH1e para produtos daMitsubishi eHewlett-Packard, acabou por se tornar o grande hit dos Flaming Lips.O vocalistaWayneCoynedisse à revistaUncutJunho de 2008:"A canção-chave do álbumé"Do You Realize?". "Posso dizer queeu crieiessa música,mas eu nãoteria pensado quetinhaesse outromundanismo.Eu me deparo compessoasque dizem usá-laem funerais, casamentosouquando seus filhosnascem. "
Em março de 2009elafoi nomeada aoficialcanção de rockdo estadoOklahoma, queé o estadode origem da banda. No entanto, ao contrário dealguns dos outroscandidatos, como "Home Sweet Oklahoma", escrito por LeonRusselle "Oklahoma", doThe Call, a letra da músi…

As favoritas de Stephen Malkmus (Pavement, The Jicks) + Bonus Tracks

Imagem
As favoritas de Stephen Malkmus  (Pavement, The Jicks) + Bonus Tracks


Hoje, na seção 'As favoritas de...', vamos com o gênio low-profile Stephen Malkmus, vocalista e letrista da seminal banda de college rock americano Pavement e, atualmente, com a The Jicks. Malkmus desfila bom gosto e algumas surpresas que remetem a década de sessenta. Para conferir os comentários que ele fez sobre cada faixa, clique aqui (em Inglês).
Para completar, adicionamos as versões originais de seis outras canções que o Pavement fez versões durante a sua carreira. Confira;
Tracklist;

1. 'California Dreamin'', The Mamas & The Papas
2. 'Purple Haze', The Jimi Hendrix Experience
3. 'Kill The Poor', The Dead Kennedys
4. 'Unsatisfied', The Replacements
5. Sister Ray', The Velvet Underground
6. 'Cross Bones Style', Cat Power
7. 'Camera', R.E.M.
8. 'The Killing Moon', Echo & The Bunnymen
9. 'It's a Rainy Day (Sunshine Girl), Faust
10. 'It…

H.Hawkline (Cardiff, País de Gales)

Imagem
H.Hawkline (Cardiff, País de Gales)

O cantor e compositor Galês H.Hawkline  é a coisa mais grudenta (no bom sentido) a emergir da ilha Lundy nos últimos tempos. Atualmente gravando seu terceiro álbum, seu mais recente lançamento 'The Box Domino Black' EP encontra Mr Hawkline em um estado de fluxo. Sua carreira flutua entre o folk dylaniano ao estridentismo da guitarra elétrica de um Jack White. Esta mudança é tão dramática como a sua mudança de continente, já que ele se mudou para Los Angeles há dois anos. Liricamente, Hawkline canaliza seu ídolo Richard Brautigan através de uma mistura de cimento bruto de lodo de rock, feltro e algas marinhas, listando suas posses em seu quarto alugado no que é uma apreciação pungente de uma geração de despossuídos e excluídos.
Confira o último trabalho dele no Soundcloud.



Mais informações;;
music.hhawkline.com/ https://www.facebook.com/pages/H-Hawkline/1520401441525531

Discoteca Básica; 'The All-Time Greatest Hits', Roy Orbinson (1977)

Imagem
Discoteca Básica; 'The All-Time Greatest Hits', Roy Orbinson (1977)
Ele não possuía alguns dos atributos que eternizaram as obras de seus mais fabulosos colegas e contemporâneos: não tinha o carisma real de Elvis, apenas flertava com a rebeldia do rock'n'roll de Jerry Lee Lewis e Carl Perkins, ou às vezes com a pureza country de Johnny Cash. No entanto, Roy Orbison conseguiu inscrever seu nome com louvor nas principais páginas da música pop, influenciando diretamente um imenso leque de stars, desde Dylan e os Beatles até Bruce Springsteen, Elvis Costello e Van Halen (que transformou num de seus primeiros hits uma versão para "Oh Pretty Woman"), entre tantos outros.


Quais seriam então as razões para este músico tímido e introspectivo, nascido e criado no interior do Texas, merecer tantas honrarias? O principal motivo deve ter ficado por conta da extrema sinceridade, aliada a uma angústia inerente à sua personalidade, transmitida de forma tocante através das canç…

As Favoritas de... Lou Reed

Imagem
As Favoritas de... Lou Reed;
Nessa lista, inicialmente compilada pela revista Rolling Stone, Lou Reed mostra grande admiração pelas origens da música Pop; Tem Roy Orbinson ainda em início de carreira, Dion & The Belmonts, The Drifters e Ricky Nelson. Conta também com seus contemporâneos, como Bob Dylan e John Lennon. Tem espaço até para uma surpresa no playlist.
Originalmente com de canções, nós adicionamos mais quatro canções que ele fez versões durante a sua carreira solo; Vamos a lista!
Tracklist
01. 'Smoke From Your Cigarette', Lillian Lech & The Mellows, 1955 02. 'Angel Baby', Rosie & The Originals, 1960 03. 'The End Of The World', Skeeter Davis, 1962 04. 'I Touch Myself', Dyvinals, 1991 05. 'Save The Last Dance For Me', The Drifters, 1960 06. 'The Wanderer', Dion & The Belmonts, 1961 07. 'Hello Mary Lou', Ricky Nelson, 1961 08. 'Ooby Dooby', Roy Orbison & The Teen Kings, 1956 09. 'Foot of Pride', Bob…

Videodrome; 'Hurt', Johnny Cash (2002)

Imagem
Videodrome; 'Hurt', Johnny Cash (2002)
Não pode haver melhor história de fundo na história da música  que o vídeo de Mark Romanek para a versão de Johnny Cash para 'Hurt', clássica faixa do Nine Inch Nails, feito apenas sete meses antes da morte de Cash, aos 71 anos de idade. O vídeo utiliza imagens do arquivo particular do 'Homem de Preto', sem romantizar sua vida. Em uma casa abandonada em Nashville, cercado por frutas semi-apodrecidas, Romanek versou sobre o estado de saúde de Cash, amargo e sincero, como suas canções foram.
O vídeo definitivo. Um epitáfio glorioso.

Para quem não conhece a original. clique aqui.


Música para sentir; 'Love's a Game', The Magic Numbers (2009)

Imagem
Música para sentir; 'Love's a Game', The Magic Numbers (2009)
Tudo é feito de alguns 'talvez'. Acontece todo o tempo.

O tolo que talvez eu seja por ser seu.
A inocente que acreditaria em mim e andaria na linha. O erro que você cometeria por ser do jeito que você é. Mas, definitivamente, eu sou o seu erro mais honesto.
E é exatamente isso que eu gostaria de ser pra você. Não é uma mentira e acontece o tempo inteiro. E nós sabemos, quando estamos lá em cima, que isso é verdade.
Ninguém precisa de jogos para olhar nos olhos e dizer que ama. Ninguém precisa de esconderijos para simplesmente admitir que precisa daquilo. Sim, acontece.
Sentados no carro, a chuva escorrendo no vidro. O som baixinho e o sensação de complemento. Tudo tão intenso quanto deveria ser. A verdade é tão perfeita que não precisa ser dita.
O amor é isso? Pra mim é. Pequenas coisas. Pequenos atos. Olhares compreensivos e nenhuma necessidade de explicar. E por mais que aquela voz feminina no alto falante diz qu…

Ava Luna (Nova Iorque, USA)

Imagem
Ava Luna (Nova Iorque, USA)
"É tão bom para corrigir alguma coisa, mesmo que seja temporário", diz Felicia Douglass, vocalista do Ava Luna , a nossa banda da semana, sobre as emoções subjacentes no novo trabalho. "Como dançarina eu costumava colocar camadas de goma-laca em minhas sapatilhas de ponta para aumentar a sua longevidade. Mas eu sabia que era apenas uma solução rápida.". 
'Coat of Shellac' é o nome do novo single, que abre o álbum 'Infinite House', uma prova da sua gama de ecletismo Um pop futurista espacial sobre fuga e proteger o que se ama future-pop sobre a fuga de proteger algo que você ama, com pingos de frustração e perguntas sem resposta ("se é longo, você vai querer ir?"). Onde a maioria das bandas têm uma só voz predominante quando se trata de composição, os nova-iorquinos têm um punhado, e cada faixa varia dependendo de quem está conduzindo. Confira o vídeo para a canção.


Mais informações;
https://www.facebook.com/avaluna a…

Discoteca Básica; 'The Chess Box', Chuck Berry (1990)

Imagem
Discoteca Básica; 'The Chess Box', Chuck Berry (1990)
Esta é a história que se conta: Charles Edward Anderson Berry - um guitarrista, cantor e cabeleireiro de 29 anos - e seu amigo pianista Johnnie Johnson apareceram nos estúdios da gravadora de Leonard Chess, em Chicago, num dia de 55. Vinham munidos de um bilhete de apresentação escrito por Muddy Waters e uma tosca fitinha demo com duas músicas: um blues tradicional ("Wee Wee Hours") e uma "novidade", como Berry a definiu. Uma fusão de r&b e country saltitante intitulada "Ida Red", "adaptada" de cançonetas anônimas da região de St. Louis, terra natal de ambos. Chess torceu o nariz para o blues, mas adorou a "novidade". Pediu que Berry arredondasse a música, que a deixasse dançante, escrevesse uma letra nova com um nome de mulher mais interessante e, sobretudo, polisse sua voz de tenor de forma que não parecesse mais "tão negra".



Assim nasceu "Maybellene"…

Música + Livros; 'Só Garotos', Patti Smith

Imagem
Música + Livros; 'Só Garotos', Patti Smith (Leitura Online)
Nova York vivia em ebulição. De suas ruas, casas de shows, livrarias e bares saiam rolos de fumaça psicodélica e emanações de libertação artística e sexual. Era o cenário ideal para os jovens artistas, poetas, roqueiros e intelectuais que buscavam novas formas de expressão e mudavam a todo momento a cara dos anos 60.
“Só Garotos” descreve esse caldeirão cultural a partir de um olhar poético e engajado – o olhar de Patti Smith, musa dos primeiros passos do punk. Generosa com sua própria trajetória, ela estende a mão e convida o leitor a passear contra o vento pelas ruas de Manhattan. E revela sua bela história de amor com o então desconhecido Robert Mapplethorpe.
 O livro aborda o período desde o nascimento de Patti e Robert -- ambos na segunda metade da década de quarenta, e segue até o final da década de oitenta, período em que Robert, já o famoso fotógrafo de nus provocantes, morre vítima da aids.
Pa…