Postagens

Mostrando postagens de Março, 2016

Música para Sentir; 'Your Blue Room', U2 & Brian Eno (1995)

Imagem
Música para Sentir; 'Your Blue Room', U2 & Brian Eno (1995)

Eu poderia fazer sempre sentido Poderia buscar sempre em alguém ter o que dizer. Mas talvez esse não seja o sentido, talvez meus olhos nunca estiveram abertos para que eu pudesse perceber quem é você. Eu precisaria te perguntar algumas coisas. Eu precisaria fumar um baseado e tocar a sua pele para saber quem realmente você é!

Alguém? Poderia amar como nunca antes. O tempo poderia mostrar isso e o futuro seria presente. Algumas pessoas precisam de amor. Algumas pessoas precisam se conhecer melhor.

Sozinho. A tristeza. Um dia voltarei. Espero me lembrar de tudo que fui e tudo que serei.
Hoje estou muito escuro para isso!

Disco da Semana; '12 Memories', Travis (2003)

Imagem
Disco da Semana; '12 Memories', Travis (2003)

Apesar de ser considerado 'Indie' por estas bandas, o Travis foi uma banda extremamente popular no Reino Unido entre o final da década de noventa e início dos dois mil. Em '12 Memories', quarto disco de estúdio dos escoceses  é mais uma pepita pop, feita sob medida para o gosto do público britânico; Melodias assobiáveis, violões lindamente gravados e letras com teor 'fossa-pós-pé-na-bunda'. Parece conteúdo de banda de sertanejo? Bom, até é. Mas não se esqueçam que britânicos aprendem com Beatles e Smiths, e brasileiros aprendem com Caetano e Gil... O disco abre com três singles fantásticos; 'Quicksand', com sua levadinha, mais uma vez, Beatles. 'The Beautiful Occupation', numa melodia que até dói de tão bonita. 'Re-Offender', mais uma oferenda aos deuses do pop. Nas demais, a banda oscila. Uam bela balada que já havia sido lançada ('Love Will Come Trough'), um rockinho bacaninha …

Still Parade (Berlin, Alemanha)

Imagem
Still Parade (Berlin, Alemanha)
O Still Parade é Niklas Kramer, mais uma 'banda-de-um-homem-só'. Seus primeiros lançamentos foram gravadas em estúdios profissionais, bem equipados adequados e com produtores experientes. Então, em 2014, seu pai lhe comprou uma máquina de fita e ele começou a experimentar com sons e técnicas de gravação em seu apartamento em Berlim. Ele logo percebeu que preferia o que  poderia alcançar em seu minúsculo quarto: um som sonhador leve e brilhante, todos os synths  e batidas de tambor woozy, aliada a belas melodias pop. Os resultados são impressionantes: 'Concrete Vision', seu álbum a ser lançado em junho, mostra toda a gama de suas habilidades em uma variedade de instrumentos, nomeadamente teclados,  a produção inventiva e seu caminho com um vocal sussurrante. Todd Rundgreen meets Tame Impala e Toro Y Moi. Há um precedente comercial aqui. Na verdade, Kramer - que fez sua estréia norte-americana ao vivo, vai ser trilha de campanha da Victoria…

Discoteca Básica; 'Steppenwolf', Steppenwolf (1968)

Imagem
Discoteca Básica; 'Steppenwolf', Steppenwolf(1968)Em sua autobiografia, J ohn Kay diz: "estávamos encurralados numa sufocante imagem de uma banda de motoqueiros machões". O estrondoso sucesso da canção "Bom To Be Wild", de certa forma, ofuscou a decisiva obra do quinteto Steppenwolf.
Mas nunca é tarde pará redescobrir que, ladeando um tesouro musical - que se alinhou como um hino de escapismo de uma época que despontava a guerra do Vietnã, os assassinatos de John Kennedy e Martin Luther King,mais a ascensão de Richard Nixon -,residia um autêntico oceano de maestria.


Criado a partir das cinzas do Sparrow,grupo que de 65 a 67 vestiu o blues e o folk nas mais chapadas improvisações,o Steppenwolf era pilotado através da voz gutural de Kay (nascido em 44 na cidade de Tilsit, na ex-Alemanha Oriental, e exilado no Canadá a partir de 58). 
O grupo lançou 21 compactos, nove álbuns originais, um disco ao vivo e quatro compilações. De 67 a 72, eles gravaram álbuns prolíf…

Desconstruindo o Pop! Playlist 119; 'Say it Loud!'

Imagem
Desconstruindo o Pop! Playlist 119; 'Say it Loud!'
Tracklist
01. 'I Can't Write Left Handed', Bill Withers 02. 'The Acid Test', Leo Müller 03. 'Beat Box Wash', The Dust Junkies 04. 'One Way Ticket', Helen Reddy 05. 'Stereo Freeze', Jackie Mittoo 06. 'It's Just Begun', The Jimmy  Castor Bunch 07. 'Moonbean Woman', Freak Power 08. 'Signs, The Five Man Electrical Man 09. 'Word Play', The X-Cutioners 10. 'Barkin' Up the Wrong Tree', James Wong & The House Wrackers 11. 'I Need a Dollar', Aloe Blacc 12. 'War', Edwin Starr 13. 'Everybody Needs Love', Mary Wells 14. 'Copy Cat', The Bar-Kays 15. 'Feeling So Good', The Archies 16. 'The Fuzz and da Boog', Fuzz Haskins 17. 'Me and the Biz', Masta Ace 18. 'The Rapper', The Jaggerz 19. 'Tobacco Road', War 20. 'Give It Up', Good Men
"Say It Loud!" from marcioguariba on 8tracks Radio.

Música Para Sentir; 'The Life & Death of Mr. Badmouth', PJ Harvey (2004)

Imagem
Música Para Sentir; 'The Life & Death of Mr. Badmouth', PJ Harvey (2004)

Sangre. Sangre. Lave a sua boca suja. Mulheres tem raiva de quê? Mulheres sabem mais do que nós. Lábios envenenados e tempo acabando. Ficaremos todos sozinhos no final do mundo. Ninguém á quem culpar, ninguém á quem pedir perdão. Continue andando pela estrada sem fim. Tudo é sujo. Tudo é podre. E isso é tudo o que temos. Nosso veneno servido no café da manhã. Cicatrizes doloridas demais não podem ser esquecidas e você sabe porquê. Tudo é veneno. Tudo é perdição. Estaremos de mãos dadas quando tudo isso acabar. Minha pequena... Seu corpo é veneno. E sua boca é meu desejo. Não precisamos de nenhuma lua para iluminar e nenhum sol para nascer. A vergonha é amiga do nosso tempo. Sangre até acabar a vida. Doce e pequena. O amor mais profundo que a alma. Saiba do que fiz por você. Saiba quando o fogo acabar, que nós sempre fomos os mesmos bastardos. Tudo é veneno. Tudo é amor.



Disco da Semana; 'Welcome To The Monkey House', Dandy Warhols (2002)

Imagem
Disco da Semana; 'Welcome To The Monkey House', Dandy Warhols  (2002)

No final de 2001, eu entrei na loja HMV de Londres e estava tocando uma música que ficou na minha cabeça até eu voltar pra casa. Um ritmo glam rock, uma melodia sussurrada, pronto, o Dandy Warhols entrou na minha vida.

A música era o hit alternativo "Bohemian Like You", e, numa caça incessante na internet (aah, audiogalaxy. lembram?), "13 tales from the urban bohemia" e "Dandy Warhols come down" estavam na minha HD. E a decepção com o resto do disco foi o suficiente para que eu me desinteressasse por eles.

Porém no terceiro, "Welcome to the monkey house", o mais difícil é encontrar aquele som chatinho que me fez desistir deles. O disco exala Glam, Tecnopop, sensualidade, ritmo e diversão.

Definições? Talvez, música para ouvir indo pra balada. As vezes durante ela.



Música para sexo sacana. Música para se vestir com roupas estranhas. Não sei. Isso é o máximo de definições que…

Andy Shauf (Regina, Saskatchewan, Canadá)

Imagem
Andy Shauf (Regina, Saskatchewan, Canadá)
Shauf pertence a essa categoria de música suave, de voz ofegante e extremamente cult. Amores maginais e agridoces. Gente como Elliot Smith e Tobias Jesso Jr.. Sua música é ricamente texturizada,  muitas vezes gravada no porão da casa de seus pais no interior do Canadá. Ele já lançou um par de álbuns por selos locais pequenos e agora, acaba de assinar com o mesmo selo de Tom Waits, Wilco e Neko Case. 
Seu álbum mais recente foi amplamente aclamado online. "Uma coleção apropriada de contos sombrios sobre viciados em drogas em pequenas cidades, amantes assassinas e outros perdedores cansados", disse um blog, deixando de mencionar que, apesar dos personagens, a música é exuberantemente linda. Confira;



Mais informações;
andyshauf.com  Facebook  Twitter  Songkick

Discoteca Básica; 'The Shadows', The Shadows (1961)

Imagem
Discoteca Básica; 'The Shadows', The Shadows (1961)
Em julho de 79, o jornalista inglês Peter Frame escreveu que o selo EMI deveria erigir uma estátua para Hank Marvin, "o mais influente de todos os guitarristas". E o mote dele ainda continua valendo.

Marvin, tal como Jet Harris (baixo), Bruce Welch (segunda guitarra) e Tony Meeham (bateria) tocaram - separados em grupos que foram parte da história do rock mais seminal feito na Inglaterra (Five Chesternuts, The Vipers...), antes de se juntarem como The Shadows, a banda de apoio do cantor Cliff Richard.

Ao iniciar sua carreira, independente de Richard, com números instrumentais, o quarteto acertou em cheio, criando um estilo inteiramente original. A formação musical deles, bem como o lado visual, seguiam um padrão próprio. E logo no segundo single - "Apache", editado em julho de 60 - , chegaram ao topo e nunca mais ficaram fora das paradas. Somados seus hits àqueles em que acompanharam Richard, os Shadows det…

Desconstruindo o Pop! Playlist 118; 'I am human and I need to be loved. Just like everybody else does...'

Imagem
Desconstruindo o Pop! Playlist 118; 'I am human and I need to be loved. Just like everybody else does...'
Tracklist
01. 'Let's Go Trippin', Dick Dale & His Del-Tones 02. 'Gonna Get Along Without You Now', She & Him 03. 'Fall In a River', Badly Drawn Boy 04. 'Into the Great Wide Open', Tom Petty & The Heartbreakers 05. 'Love and Happiness', Al Green 06. 'Wicked Gil', Band of Horses 07. 'Boom Boom', The Animals 08. 'Hitch Hike', The Rolling Stones 09. 'With a Girl Like You', The Troggs 10. 'Life is White', Big Star 11. 'I Ain't Done Wrong', The Yardbirds 12. 'Don't Let It Get You Down', Echo & The Bunnymen 13. 'Blue Jeans', Blur 14. 'Heaven's on Fire', The Radio Dept. 15. 'Miss K', Deer Tick 16. 'Pictures of Lilly', The Who 17. 'How Soon Is Now?', The Smiths 18. 'Love Will Tear Us Apart', The Swans 19. 'I'm Bored'…

O Mundo Maravilhoso das Capas de Discos; 'Power, Corruption and Lies', New Order (1983)

Imagem
O Mundo Maravilhoso das Capas de Discos; 'Power, Corruption and Lies', New Order
Design de Peter Saville
O designerPeterSaville foi a National Portrait Galleryem Londres pensando em se basear em alguma pintura renassentista que mostra-se algum príncipe maquiavélico para combinar com o tema do título do álbum. Sem encontrar nada que lhe agrada-se, resolveu ir embora, quando parou na loja da galeria e comprou um cartão postal do quadro 'Cesta de Rosas', do artista francêsHenriFantin-Latour por acidente.Sua namorada ao ver o postal, que a havia sido comprado para a mãe de Peter disse, 'Nossa... Flores? Você não está pensando em usar isso para a capa, não é?'.
Eureca! 
'As flores são o meio pelos quais o poder, a corrupção e a mentira se infiltram nas nossas vidas', disse. 'Elas são sedutoras!'
Inicialmente, Tony Wilson, dono da gravadora Factory teve de entrar em contato com o museu para saber se poderia usá-la. Recebendo uma negativa, procurou saber qu…